Apesar da crise que herdou, o governador Marcelo Miranda (PMDB) tem enviado sinais ao mercado de que o Tocantins pode atrair novos investimentos; em reunião com empresários do grupo Her Maow e do Banco Sumec, da China, Marcelo destacou que o governo trabalha para reverter “quadro de insegurança”; “Já estamos trabalhando para fortalecer o empresariado. O nosso Estado tem muitas potencialidades, mas temos o desafio de reverter o quadro de insegurança que encontramos para atrair novos investidores”, ressaltou.

Tocantins 247 – Há menos de um mês à frente do governo do Estado, o governador Marcelo Miranda (PMDB) tem se dedicado a solucionar os impasses administrativos e financeiros herdados da gestão do ex-governador Sandoval Cardoso (SD), ao mesmo tempo em que tem sinalizado ao empresariado que o governo já está preparando medidas para tornar o Tocantins mais favorável ao investimento privado.

Nessa sexta-feira, 24, Marcelo Miranda recebeu no Palácio Araguaia empresários do grupo Her Maow e do Banco Sumec, ambos da China. Os executivos das instituições apresentaram ao governador as potencialidades e interesses de investimentos da empresa e instituição financeira no Tocantins.

Aos empresários, o governador destacou que o Tocantins aumentará sua competitividade na disputa com os demais estados para instalação de grande empreendimentos e investimentos. “Já estamos trabalhando para fortalecer o empresariado. O nosso Estado tem muitas potencialidades, mas temos o desafio de reverter o quadro de insegurança que encontramos para atrair novos investidores”, ressaltou.

O Banco Sumec é uma instituição estatal, que atua em diversas áreas com financiamento para investidores em setores como o de energias renováveis, aço, têxtil, geradores, estaleiros, infraestrutura, autopeças de rodas e caminhões, saneamento básico, além de projetos de obras e construções.

Já o grupo Her Maow é uma empresa fabricante de cosméticos, especializada em sombra, blush, bronzeador, batom, rímel, delineador e outras variedades de cosméticos. No Brasil, atua com seus produtos no Estado de São Paulo.

Participaram da reunião os representantes da Her Maow, Tom Kuo e Allan Kuo, o representante do Banco Sumec, Chi Shu Hsien, acompanhados pela empresária Kyra Hsia, da Kia Importadora e Exportadora, e o juiz de Direito, Alan Ribeiro da Silva.

De acordo com a empresária Kyra Hsia, a sinalização para negócios futuros com o Governo do Estado foi positiva. “Tivemos uma expectativa maravilhosa e vamos fazer todo um projeto para poder estreitar os nossos relacionamentos, na parte de saneamento básico, de economia, e com todos os nossos grupos que estão aqui”, disse.

Fieto e BMG

A mesma sinalização foi dada por Marcelo Miranda ao empresariado local. Em reunião com o presidente da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), Roberto Pires.

Em reunião com o governador, Pires ouviu o que o governo está fazendo para contornar a crise financeira herdada e comentou sobre as perspectivas para o setor através da parceria com o governo estadual, ressaltando que a tendência é de melhoras no segmento nos próximos anos.

“A indústria entende dos gargalos, mas eles não podem ser resolvidos só pelos industriais, depende também de ações conjuntas com o governo”, argumentou Pires.

Já os representantes do BMG apresentaram a estrutura e o funcionamento do banco ao governo do Estado e se colocaram à disposição para possíveis parcerias. Atualmente, a parcela mais importante das atividades da instituição é a concessão de empréstimos em consignação, com desconto em folha de pagamento.

De acordo com o vice-presidente nacional da instituição, Márcio Alaor de Araújo, a reunião teve sinalização positiva para futuros financiamentos de ações a serem desenvolvidas pelo Executivo. “O governador conhece bem o Estado e tem uma experiência muito grande, e a gente tem total confiança nele. Já temos uma relação de parceria e queremos mantê-la”, ressaltou.

Segundo o governo estadual, o Tocantins apresenta amplo potencial de atração e viabilização para investimentos de instituições financeiras. As parcerias do Estado com bancos, por exemplo, acontecem principalmente para viabilizar a realização de projetos governamentais e para criar oportunidades de negócios que gerem emprego e renda para população.